Total de visualizações de página

domingo, 8 de novembro de 2009

O BLUES MENOR

Olá galera, depois de longo tempo sem postar nada, consegui arrumar tempo e inspiração para postar um texto aqui. O poema que se segue eu compus essa semana justamente para colocá-lo no blog e serve como um retorno às postagens abandonadas (Uhaaau). O texto é simples e as palavras falam por si mesmas e trata da relação entre um homem e seu vício, sobre seu amor e ódio, atração e repulsão perante o mesmo vício que horas o enche de júbilo, outras o derruba na miséria. Boa leitura.





O BLUES MENOR (Guto)

Dou goles na nefasta taça
Bebo este veneno amor,
Horas me enche de graça
Outras acho-a um fim sem cor

Lembro-me:”Sou tão pequeno”
Perco-me e adentro o mar,
Cobre-me este sabor veneno
E sonho sem um despertar.

Sorvo esta canção do Eros
Leve fio que me alimenta,
Sons que sei criar tão belos
Vem dessa fonte violenta.

Hades de quem roubo um beijo
Só p’ra sentir o fenecer.
Ondas pelas quais velejo
Sorvo p’ra depois morrer.