Total de visualizações de página

quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

Orion (Guto)

"Eu não sou o fim,mas posso ser(...)"

Autor Desconhecido


Orion (Guto)



Brilha sobre minha claridade razão
Monólito de benigna imensidão
Vetores sem direção
Meu corpo um sepulcro povoado
As hostes já se banham em terras fartas
Descobri que devo lutar
Sou um animal enjaulado
E o meu carcereiro usa uma máscara
Algo como se fosse eu
Carente e indeciso
Viciado por terras petulantes
Queria uma voz que me chamasse
Com uma melodia mais sensível
Entretanto, eu não a ouviria
Pois só adentro o rufar dos tambores
E prefiro ritmos a melodias
Prefiro o verdadeiro caos pulsante
Do que a falsa e venenosa alegria