Total de visualizações de página

quarta-feira, 12 de julho de 2017

The Bloody Ground (Guto)

The bloody ground (Guto)



Dentro da cela opaca
Descanso e parto o elo
Atinjo a fugaz beleza cara
Vendo - a e não sinto receio
Escalo o jardim de rosas
Me corto nos espinhos do seu seio
O sangue que jorra é apenas rancor
Fertiliza o jardim
Ó, puro amor!
Descanso no topo do quarto cândido
Evito o olhar pétreo
Sinto a preguiça fazer parte de mim
Já descansei demais
Nessa profunda tarde sem fim
Desperto diante do espelho
Vejo me um pálido
Um árido
Um terreno seco
Repleto de heras daninhas
E esterco.

Nenhum comentário:

Postar um comentário